quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Com ou sem textura

Umas das dificuldades no início da fotografia e observar esse pequeno detalhe fundamental, as texturas do branco e do preto nas fotografias. A dúvida somente chega, muitas vezes, depois de meses de boa observação.

O branco (parte clara na fotografia) e o preto (parte escura na fotografia) tem seu devido valor, não adianta fotografar com uma grande latitude de intensidade de luz, o sensor da câmera fotográfica não consegue capturar todas as informações com latitudes superiores a 2 pontos de luz. (1 ponto, dobro de luz : -1 ponto, metade de luz).


EX: Quando mede a luz em modo manual e a fotometria fica em 0EV para algo com tonalidade neutra, como uma camisa cinza de uma pessoa, a exposição da foto para aquela pessoa ficará correta, porém, se esta pessoa estiver a sombra de uma árvore em um dia ensolarado, não terá informações completas de tons claros do céu ou das partes onde sol incide. A mesma coisa se aplica da forma inversa, fotografando alguém em baixo de sol forte com a medição correta para a pessoa, não terá informação completa das partes escuras, como sombras em baixo de árvores ou interiores de residências.

Para resolver isso, procuramos horários durante o dia em que a luz esta mais suave e uniforme, podendo fazer fotos até mesmo no início da noite.

Existe um jeito para saber o que vai e o que não vai aparecer na fotografia;

* Coloque o fotômetro de sua câmera em ponderado ou pontual.
* Coloque a câmera em modo manual e meça a luz do objeto a ser fotografado usando a parte central do auto-focus do visor da câmera.
* Com a luz medida aponte a câmera para os pontos claros e escuros que aparecerão no enquadramento de sua fotografia.


Se a variação do ponto claro da fotografia não passar de +1Ev no fotômetro da sua câmera, o ponto mais claro permanecerá com a maior parte de sua informação.

Se a medição marcar entre +1EV a +2Ev, o ponto mais claro não manterá todas informações que consegue observa a olho nú.

Se a medição marcar superior a +2Ev, quando o fotômetro ficar piscando no mais 2Ev, não terá informação, tendo um branco completamente sem textura, um branco chapado.

Da mesmo forma isso se aplica ao preto, quando medir a luz nas áreas escuras do enquadramento da sua fotografia.


Com o tempo seu olho começa a viciar nesse tipo de leitura.
Mesmo sem o uso do fotômetro da câmera, você terá uma boa percepção daquilo que terá ou não informação em sua fotografia, mantendo um nível melhor de qualidade final de imagem e com informações dos pontos claros e escuros de sua fotografia.

Quando for fotografar de uma forma que queria realmente a perda dessas informações, faça de forma racional, sabendo o que esta fazendo.

A fotometria no início é algo um pouco complicado, com esse treino você vai ganhando tanto percepção quanto agilidade para fotografias em ambos os modos, fazendo fotos consciente dos seus atos, nada de sorte ou acaso.


*Dica*

Existe um botão que se chama trava AE, que na canon tem o símbolo de um asterisco * e na Nikon é o botão AE-L - AF-L (consulte manual na dúvida ou em outros modelos). esse botão faz a trava da exposição da imagem nos modos P, Av e tv na canon e P, S e A na Nikon. ele funciona assim;

Você vai fotografar uma pessoa em uma paisagem e você não quer fotografar em modo manual... aponte a câmera para a pessoa e aperte esse botão, ela vai travar e medição correta ajustando velocidade, abertura ou ambos para que a foto saia boa para aquela pessoa ou objeto a ser fotografado, então poderá reenquadrar sua foto e fazer a foto normalmente, independente do fundo claro, escuro ou fontes de luz como lâmpadas interferirem em sua fotometria. A mesma coisa vale se quiser algo como uma silhueta em um por-do-sol, é só fazer o mesmo processo travando a medição no fundo, no céu, e depois reenquadrando a foto para enquadrar o objeto ou a pessoa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário